Nervosismo contínuo ataca o estômago e pode causar gastrite

Muitas pessoas desenvolvem a doença devido aos mais hábitos e estresse contínuo.

O gastroenterologista Alexandre Sakano, da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo, advertiu que pessoas muito estressadas, que vivem constantemente nervosas, são propensas a desenvolver a gastrite.

Ele explicou que ao ficar nervoso, o ser humano libera muita adrenalina que estimula a produção de suco gástrico, que é ácido e tem a função de digerir os alimentos, mas essa liberação excessiva e contínua de ácido, faz com que as paredes do estômago fiquem ‘queimando’, e isso causa as dores.

De acordo com o especialista, mesmo quem não sofre de gastrite, ao passar por situações de nervosismo, estresse ou forte ansiedade, pode desencadear a dor.

“Se a pessoa passa por essas situações de maneira contínua, as dores podem evoluir para uma gastrite”, explica.

Vários fatores podem desencadear a gastrite

Maus hábitos alimentares, como consumo excessivo de gorduras, exagero de bebidas alcoólicas, cigarro, são outros fatores que contribuem para a irritação das paredes do estômago que pode evoluir para a gastrite.

Irritação causada por medicações também podem ocasionar a inflamação.

“Os anti-inflamatórios agem numa substância chamada prostaglandina, que bloqueia e controla a liberação de ácido no estômago. Quando bloqueamos essa substância, a dor melhora, mas perdemos o controle da liberação de ácido, que é produzido e liberado em maior quantidade, irritando as paredes do órgão” explica.

A bactéria H. Pilory também é uma das responsáveis por problemas gástricos, e ela causa grande desconforto e necessita de tratamento.

Em casos mais extremos a gastrite não tratada, pode evoluir para uma úlcera, que é uma espécie de ferida ou lesão dos tecidos.

O médico explica que o tratamento vai além do uso de medicamentos, e necessita de uma mudança nos hábitos alimentares e estilo de vida.

Se alimentar melhor, evitar excessos, praticar exercícios físicos, beber bastante água, e cuidar da ansiedade e nervosismo, fazem parte da recuperação.

Written by Silvia Cardoso

Professora Silvia, dou aulas no periodo vespertino e escrevo noticias nos sites da rede Maetips. Mãe de dois meninos, Lucas e Renato de 6 e 12 anos. Sejam muito bem vindos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

GIPHY App Key not set. Please check settings