‘Maria Tifoide’, a mulher condenada a viver 26 anos em quarentena por ter doença assintomática

No século 20, uma mulher nos Estados Unidos, sofreu com muitas difamações por conta de uma doença. A vida de Mary Mallon foi a condenação de ser mantida por 26 anos em quarentena.

É preciso entender que na época, era início do século 20, pouco se sabia sobre a doença que ela tinha, não havia nada parecido em tecnologia, como nos tempos atuais que, mesmo hoje em dia, a doença provoca infecção e pode ser transmitida.

A doença de Mary Mallon era assintomática, quer dizer; não apresentava sintomas, o paciente carregava vírus ou bactéria sem ter conhecimento que estava infectando outras pessoas.

Com febre tifoide, pelo menos 50 pessoas foram infectadas por transmissão, mas as autoridades acreditaram que poderia ter sido até mais. Quando o serviço de saúde descobriu ser ela a pessoa que teve contato com muitos casos em comum, Mary passou a ser investigada.

Médicos e cientistas tentavam entender os casos de infecção que muitas famílias apresentavam. Com o tempo, pesquisadores identificaram bactérias infecciosas que habitavam o corpo de Mary Mallon. A doença provoca febre, por isso é conhecida também como febre entérica.

Sofrendo acusações e sendo marginalizada, Mary decidiu mudar de nome para se proteger, mas ela continuou trabalhando e foi assim que infectou muitas pessoas e até famílias inteiras.

Durante 5 anos, Mary conseguiu se manter disfarçada, criou dois diferentes nomes, um para cada emprego como cozinheira. Novos casos de infecção voltaram a ser diagnosticados, ela teve contato com muitas pessoas.

Mary entrou nos Estados Unidos, no ano de 1883 como imigrante irlandesa, na época, era apenas uma adolescente. Conseguiu trabalho como cozinheira e trabalhou também como empregada doméstica.

Alguns anos depois, em 1907, foram registrados 30 casos de doença por transmissão, por isso as autoridades passaram a investigar a causa. No mesmo ano, foi descoberto que a causa da febre tifoide era Mary.

Mary Mallon foi condenada a permanecer em quarentena até a morte.

Fonte: Notícias R7

Written by Silvia Cardoso

Professora Silvia, dou aulas no periodo vespertino e escrevo noticias nos sites da rede Maetips. Mãe de dois meninos, Lucas e Renato de 6 e 12 anos. Sejam muito bem vindos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

GIPHY App Key not set. Please check settings