Woman with hot water bottle on stomach

Licença menstrual acaba de ser aprovada? Saiba tudo

A notícia alegrou muitas mulheres já que o período menstrual para algumas é um circo de horror
Podemos afirmas que na grande maioria das mulheres, um dos piores momentos do mês é o período mentrual. Algumas mulheres sentem tanta dor que ficam até impossibilitadas de realizar tarefas como em dias normais. Como solução deste fato, o Congresso Nacional aprovou uma leia que virou uma febre e está tomando conta da internet inteira. Foi cogitado a possibilidade da mulher, empregada, fica em casa em seu período de menstruação. Dá pra acreditar?
Segundo a informação da notícia, as mulheres teriam três dias de folga quando estivessem impossibilitadas de trabalhar.
Conclusão: todos os meses a mulher teria três dias de folga para passar por esse momento tão cauteloso. Porém, foi mostrado no site E-farsas que essa notícia jamais passou de uma grande invenção. Entenda a seguir.
Mulheres ainda não terão a licença menstrual de 3 dias no Brasil
A notícia da licença menstrual foi vista como uma das melhores notas do dia por muitas pessoas. Infelizmente, a alegria sobre o tema durou muito pouco. Não é a primeira vez que essa falsa informação toma conta da internet. O mesmo já havia acontecido em janeiro de 2016 e também em 2017. Sempre com a virada do ano, pelo visto, esse mal noticioso volta a assombrar os brasileiros. Essa não é mais uma lei trabalhista que provocaria polêmica em todo o território nacional.
Pelo contrário, o dado aparece com força em um momento que o presidente do Brasil, Michel Temer, tenta aprovar a polêmica mudança na previdência social.
Projeto de lei existe, mas apenas em Guarulhos
O texto falso divulgado na internet dizia que a lei valeria para todo o país, o que não é verdade. Além disso, a nota falava que o empregador deveria pagar – sem qualquer desconto – o salário da sua funcionária. Apesar de ser falsa, a notícia tem alguma base. Em 2015, um vereador de Garulhos tentou passou a tal ‘Licença Menstrual’. As mulheres para terem o benefício deveriam apresentar apenas um atestado médico aos seus empregadores. A questão é que essa lei jamais chegou a ser aprovada na região, quanto mais se tornou exemplo para todo o país.
A notícia foi atualizada e teve alguns termos mudados, como o ano e o fato do projeto, ao invés da cidade de Guarulhos, contemplar todo o território nacional. Nada disso, no entanto, é verdade.

Lembra do bebê que nasceu sem uma parte do crânio? Veja como ele está

Marido chama esposa de ‘nojenta’ por ela nunca fazer isso no banho; veja