Homem acorda durante a própria autópsia após ser dado como morto

Carlos Camejo afirma que sentiu uma “dor insuportável” quando legista cortou seu rosto

O venezuelano Carlos Camejo, sofreu um acidente de carro e foi levado para o necrotério pois as equipes de socorro o encontraram como morto e seu óbito foi declarado como instantâneo no momento do choque do veículo.

Já no necrotério o “corpo” de Carlos começou a ser submetido a autópsia que serve para atestar a causa exata da morte de uma pessoa. Mas tudo começou a se revelar quando ao cortar o rosto de Carlos, o legista percebeu que o sangue começou a verter como acontece em uma pessoa viva com pulsação presente.

O médico então se apressou a fechar o rosto de Carlos e chamar socorro para a vítima que apesar de parecer morta ainda estava viva.

De acordo com o próprio Carlos, ele acordou porque a dor do corte foi insuportável.

O legista ficou muito assustado com o fato e a esposa que foi chamada para fazer o reconhecimento do corpo de Carlos também foi surpreendida, ela encontrou o marido já no corredor do hospital e vivo.

Os integrantes da equipe que atendeu a ocorrência e atestaram o óbito de Carlos se recusaram a conceder entrevistas.

O caso ocorreu em 2007, mas até hoje deixa a comunidade local estarrecida e voltou à tona na internet após o Portal R7 descobrir e publicar na internet.

 

Written by Silvia Cardoso

Professora Silvia, dou aulas no periodo vespertino e escrevo noticias nos sites da rede Maetips. Mãe de dois meninos, Lucas e Renato de 6 e 12 anos. Sejam muito bem vindos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

GIPHY App Key not set. Please check settings