Feto dá chute tão forte que fura parede uterina da mãe e perna sai

Médicos consideraram o caso da gestante e seu bebê raríssimo na medicina.

Uma gestante chinesa, da cidade de Shenzhen, na China vivenciou um grande susto em sua vida e se pode dizer que é algo inédito o que aconteceu com ela. Os médicos ficaram perplexos com o que viram.

A mulher deu entrada na emergência do Hospital Perking University Shenzhen Hospital, dizendo que estava sentindo dores muito fortes na barriga e no baixo ventre. Ela contou que estava se sentindo muito bem, até que o feto deu um chute muito forte, a partir desse momento ela começou a ter dores e só foi aumentando a intensidade.

É perfeitamente normal, o bebê durante o desenvolvimento na vida intrauterina mexer e chutar com 18 e 20 semanas, então a mamãe sente chutinhos e soquinhos, mas nada que provoque dor.

Imediatamente a equipe médica providenciou os exames para evitar riscos para a gestante e o bebê.

Após examinar a paciente e com os resultados dos exames, os médicos comprovaram que o chute do feto foi tão forte que a parede do útero foi rompida e a perna saiu, sem, no entanto romper o tecido da barriga, por isso não estava à mostra.

A médica responsável e sua equipe decidiram providenciar o parto de cesárea com urgência, só assim a mulher teria chances e o feto também, pois as dores estavam intensas e ela não conseguiria suportar por muito tempo.

A grávida teve um problema antes de engravidar, na época ela precisou fazer cirurgia para remoção de um fibroma, provavelmente foi assim que tenha sido mais fácil a ruptura, porém, não há dúvida de que o bebê tem uma força espetacular capaz de causar a ruptura.

Mãe e bebê passam bem e estão felizes.

Não houve complicação para fazer o parto. Depois do susto foi momento de comemorar e a equipe médica agora está em alerta para caso surjam novos casos. Saberão que existe essa possibilidade remota de um bebê dar um chute mais forte do que o esperado.

Homem foge pela janela de hotel para não pagar a conta, mas…

Barbeiro fica famoso por atendimento afetivo a crianças autistas