Com muito custo e uma ordem judicial, pais conseguem registrar nome “difícil” do filho

Compartilhe em seus Grupos do Whatsapp

Renato Soares Mendonça sonhou e nele estava o nome do seu filho recém-nascido. Mas, para conseguir registrar a criança, com o tal nome, teve que lutar na justiça, o cartório da cidade de Assis Chateaubriand, recusou-se a registrar por achar a pronuncia do nome bem difícil e acreditam que no futuro, o garoto pode sofrer muito constrangimento. O nome escolhido pelo pai foi Rerynk
O pai conta que no sonho, surgiu o nome do seu filho, essa idéia de chamar o bebe assim foi pelo simples motivo de ninguém ter um nome igual, e ser diferente. O que travou a oficialização é que a Lei de Registros Públicos prevê que em dúvidas na pronúncia ou significado do nome, o cartório deve apenas fazer os documentos com ordem da justiça.

continua após esse anúncio ⤵

O cartório acabou agindo corretamente. O juiz de Assis Chateaubriand, no Paraná,a após 20 dias, decidiu manter a vontade os pais, autoridade garante que o nome não deve causar mal ao menino, pode ser diferente, mas, não tão confuso assim. Os pais ficam gratos e felizes e registram o seu filho na forma oficial e da lei. Esse caso aconteceu nessa ultima terça-feira (31). Rerynk tem uma vida pela frente e ensinar para todos os colegas como pronunciar o seu nome.

Qual sua opinião? Comente no final ⤵




Compartilhe em seus Grupos do Whatsapp

Comente aqui ⤵


Acusação bombástica de violência sexual tirou ‘A Fazenda’ do ar

Mulher é flagrada duas vezes no mesmo dia ao transportar macacos em mochilas