Caso RARO, mulher de 42 anos dá à luz a trigêmeas em São Paulo

 

A dona de casa, de 42 anos deu à luz a trigêmeas na manha de quinta-feira (08), na maternidade de Santa Casa de São Carlos (SP). A gravidez é rara e alto risco, mas mãe e as 3 Marias passa bem. “No começo a gente assusta, mas é uma graça de Deus”, disse Maria Ivoneide de Souza ao G1.

A família pe carente e precisa de ajuda com leite e fraldas.As meninas Maria Aparecida, Maria Lorrane e Maria Cynthia, nasceram por volta de 9h30, após uma gestação de 8 meses.A previsão do parto era para dia 20, mas elas se adiantaram.

“Eu ia fazer um ultrassom amanhã e, se estivesse tudo bem, ia marcar para fazer a cesárea. Mas quando deu 2h eu levantei para ir ao banheiro e a bolsa estourou. Meu marido chamou o Samu e vim direto para cá. Está tudo bem com elas e não precisou ir para CTI”, disse.

Sem trigêmeos na família, Maria que dar um irmãozinho para o outro do casal, de 4 anos. Em abril do ano passado ela chegou a ficar grávida, mas perdeu o bebê.

“Eu achei que estava doente, ai o médico falou que eram trigêmeas. No começo a gente esperava uma criança só, mas quando fizemos o ultrassom tivemos a surpresa. Antes uma gravidez que uma doença e quem cria um cria quatro [filhos]. É a vontade de Deus”, afirmou.
Ela também passou pela cirurgia de laqueadura. “Vai que aparece mais um, a gente não está podendo”, brincou.

A gravidez de trigêmeos é rara e acontece 1 em cada 100 mil nascimentos.

Caso raro
Segundo a ginecologista e obstetra Cynthia Campos Pereira Lopes, que fez a cesárea, a gravidez de trigêmeos é rara e acontece em 1 a cada 100 mil nascimentos. Por conta da idade, Maria precisou ficar em repouso total no pré-natal.

“Na idade dela é mais raro ainda, ainda mais sem tratamento, vieram naturalmente. Precisa de um cuidado triplicado e ela precisou passar por um pré-natal de alto risco. Ela fez bastante exames, porque tem risco de pressão alta, mas graças a Deus correu tudo bem”, explicou a obstetra Cynthia Campos Pereira Lopes.

Ainda de acordo com a médica, as crianças precisam ganhar peso e estão em uma unidade de cuidados especiais. “A menorzinha tem 1,7 quilos e a maior 1,9 quilos. A diferença de peso era uma preocupação nossa, mas elas estão ótimas e não estão dependentes de oxigênio. A previsão é de que em 3 ou 4 dias elas estejam no quarto com a mãe”, concluiu Cynthia.

Família precisa de ajuda

O pai, o pedreiro Manoel Santana Braz Pereira, precisou deixar o emprego em Bauru para cuidar da esposa, que precisou ficar em repouso durante a gestação.

“Ela passou mal e o médico disse que era bom eu estar ao lado dela. A família em primeiro lugar, né?”, disse Pereira.

Agora ele precisa de emprego para manter a família. As meninas não tem berços, por enquanto elas irão reaproveitar o berço do irmão.


“Os vizinhos fizeram a campanha de ajuda. A gente está precisando de fralda e alimento. Devemos precisar de 500 fraldas e 120 litros de leite por mês”, afirmou o pedreiro.

Quem quiser ajudar a família pode levar doações para a Rua 5, número 82, no Conjunto Residencial Eduardo Abdelnur.


Qual sua opinião? Escreva abaixo👇

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Andressa Suita, se veste de grávida Roqueira em ensaio diferente

Bebê Sofre Lesão Grave no Crânio Por Erro Ao Deixar-lo Descansando