Bebê nasce após mãe ter barriga estourada em acidente grave em SP

Menina está internada no Hospital Regional de Pariquera-Açu. Corpo da mãe ainda não foi identificado.

Uma menina que nasceu com proteção dos anjos. Essa é a melhor maneira de falar sobre esse grave acidente que aconteceu na Rodovia Régis Bittencourt em São Paulo, hoje pouco mais de meio dia.

O médico que fez o atendimento ficou impressionado com a força e a vontade de viver desse bebê, considerando que diante do ocorrido ela não teria nenhuma chance de sobreviver. Milagre?! Como entender algo assim?

Minutos após o acidente, o  médico Elton Barbosa e sua equipe de pré-atendimento chegaram ao local do acidente que envolveu uma carreta carregada de tábuas de madeiras, que ao sair da pista tombou.

A jovem que estava no caminhão foi arremessada para fora no momento do acidente, ela teve o abdômen rompido morrendo no local. A mulher estava grávida de 39 semanas e caiu na posição de bruços no chão recebendo o peso de algumas madeiras por cima. Algo incrível aconteceu, ela deu a luz a uma menina quando já estava sem vida.

Segundo informações da equipe de atendimento, eles foram acionados para salvar duas vítimas de acidente na Serra do Azeite e se surpreenderam com as condições em que as vítimas se encontravam, o homem preso nas ferragens do caminhão e a bebê que nasceu involuntariamente com o rompimento do abdômen da mãe morta.

Para o médico, a menina sobreviveu ao ser protegida pelo corpo da mãe que ficou por cima dela.

“O motorista já estava sendo retirado das ferragens do caminhão por outra equipe. A mulher estava embaixo de pranchas de madeira. Eu estava tentando chegar até a vítima para atestar o óbito quando ouvi um choro abafado de uma criança. Tiramos as pranchas de madeira e vimos a gestante. A criança estava entrelaçada nas vísceras da mãe”, conta o médico, contou o médico e completou;

“Vou ser sincero. Foi Deus. Pela cinemática, pelo que eu vi, não sei como saiu viva. Quem manteve viva foi o próprio corpo da mãe. É raro isso acontecer. O abdômen da mãe foi exposto. A mãe estava sob várias pranchas de MDF. Eu não sei como essa criança saiu viva”.

“Foi emocionante. Infelizmente tivemos o óbito da mãe, torcemos para que isso não ocorra. Mas, diante da tragédia, conseguimos fazer o procedimento e salvar a bebê. Foi gratificante. Essa ocorrência literalmente marcou a minha vida. Acho que na história da rodovia nunca ocorreu um acidente nessa proporção. Perdemos uma vida, mas fomos responsáveis por dar a vida a uma menina”, concluiu.

Carreta capotou na rodovia Régis Bittencourt, em Cajati (Foto: Divulgação/Arteris)

Com o capotamento, a gestante caiu na rodovia e não suportou o peso das tábuas sobre o corpo provocando o rompimento. A suposição que melhor explica o nascimento da menina para o médico Elton Barbosa é essa: “O feto foi expulso pelo trauma. Quando eu cheguei, o bebê estava entrelaçado nos restos mortais. Eu retirei aquela criança, fiz os procedimentos cabíveis e levei para a ambulância”.

A bebê foi levada para unidade de UTI Neonatal do Hospital Regional de Pariquera-Açu, próxima de Cajati.

A polícia Civil está trabalhando para localizar a família com ajuda dos documentos das vítimas que está buscando.

Sem a presença de algum membro da família, logo que se recuperar, a menina será levada para um abrigo.

O motorista do caminhão identificado como Jonathas Ferreira  não é pais da menina, ele está hospitalizado no  Hospital Regional de Pariquera-Açu.

O corpo da mãe foi levado para o IML sem documentos.

A Cobra Preta que Mama, é um mito ou realidade?

Acusado de matar Tatiane Spitzner tenta suicídio e defesa pede sua transferência