Antigamente eu tirava satisfação, hoje eu tiro a pessoa da minha vida

Nem todas as pessoas são boas e amigas e mais cedo ou mais tarde, as máscaras caem, mas o que realmente importa é a forma como lidamos com isso

Durante toda nossa vida, vamos nos deparar com uma quantidade enorme de diferentes personalidades, estilos, gostos e posturas de outras pessoas com quem cruzaremos nosso caminho.

Algumas vezes, iremos nos afeiçoar muito e depois nos decepcionaremos na mesma intensidade, e os motivos são variados.

Decepção amorosa, por ter idealizado na pessoa algo que não corresponde com a realidade. Olhamos o outro com os olhos cheios de amor e vemos qualidades que com o passar do tempo, percebemos que não existem, e então sentimos dor.

Decepção com falsos amigos, que antes pareciam pessoas que estariam sempre prontas a nos estender a mão, ou jamais nos colocariam em situações prejudiciais. Quando de repente, nos vemos em embaraços, que podem ter sido tramados propositalmente por aqueles a quem tanto prestigiamos.

Até mesmo no campo profissional, podemos sofrer decepções. Quem nunca deu o seu melhor para um empresa, por exemplo, e quando surgiu uma oportunidade de promoção, ou aumento de salário, você acaba ficando para trás e não sendo beneficiado.

Isso não quer dizer que devemos fazer as coisas esperando retribuição ou algo em troca, mas boas pessoas, tendem a acreditar que tudo será recíproco, já que ao entregar de bom grado o seu melhor, e também pela carga de afeto que sentem pelo outro, só esperam boas coisas daquele amor ou amigo. Só que as vezes esse carinho mútuo não virá, pois não existe.

E quando você consegue enxergar a relação de forma racional, considerando apenas a forma como você é tratado, o quanto o outro te exige e o quanto ele está disposto a dar, você pode sofrer por se dar conta de que esteve ali sozinho o tempo todo.

Nessa hora, muitas pessoas motivadas pela dor e até indignação que estão sentindo, procuram tentar entender os motivos que levaram o outro a tal ato, chegando a ponto de ir tirar satisfações, o que na maioria das vezes, será só mais perda de tempo.

A pessoa que já não te valorizava, sabe disso, e acredite, ela não se importa. Não se importa com você, ou com sua presença na vida dela. Então esse valor que você espera, precisa vir de você mesmo. Você não mudará o outro com uma conversa, e se existir alguma chance de mudança, será pela vontade dele, e não porque você espera isso.

Trate-se bem, e se preciso for, vá embora sem olhar para trás. Afinal, a paz e o amor próprio, são excelentes companhias.

Inspirado no texto do autor  Marcel Camargo, para o site “O Segredo”.

Written by Silvia Cardoso

Professora Silvia, dou aulas no periodo vespertino e escrevo noticias nos sites da rede Maetips. Mãe de dois meninos, Lucas e Renato de 6 e 12 anos. Sejam muito bem vindos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

GIPHY App Key not set. Please check settings